Translate

quinta-feira, 2 de maio de 2013

ALGUMA COISA NA ÁGUA X LIÇÃO DE BEM VIVER


Quinta feira 25 de abril: aceito o convite de Nelly Sefton Burguer para o chá das 5h.

Nelly participou da Exposição de 2012 doando tiras já
cortadas para o trabalho das mamas em crochet.

Agradeci sua participação, ao que ela respondeu: "Mas fiz tão pouquinho". E ficou impressionada com as peças que levei, gostou demais.

Jovialidade, praticidade e clareza da conversa tornaram o encontro especial. Pode-se dizer que praticamos a "arte da conversação".

Nelly disse que gosta onde mora, "porque não podia mais ficar na minha casa, vim para cá e sou muito feliz aqui". "Sempre tenho coisas para fazer". "Lavo até roupa, sabe?"  "Este ano estou fazendo álbuns de recortes. Tenho pastas por assuntos. Poderá ser útil para as pessoas, tem artigos interessantes".

A surpresa de conhece-la, ver com que alegria cumprimentou as pessoas ao chegar e ao sair, já deu uma ideia de quem é Nelly.

Apoiada na bengala, veio acompanhada por Bel Covara, pessoa de rara sensibilidade, terapeuta ocupacional da Geriatria e  a responsável por nosso encontro.

Quando Bel disse: "Nelly tem um perfil diferenciado, tem quase 100 anos, está com 98." Apenas ouvi... aí está uma companhia para ser apreciada.

 Na saída, percorreu novamente todo os ambientes do salão. Foi até as pessoas nos sofás e conversou com cada uma delas. Na mesa em que estavam apenas homens, também parou e deu uma palavrinha com cada um deles. Antes anunciou, que iria até lá,  fez um olhar vivaz mas em seguida disse: " É tudo brincadeira".

Na mesa perto da saída, diz à pessoa sentada ali: " O que tens? Estás triste?" Repete a pergunta umas duas vezes, e vem a resposta: "É que estou com dor de cabeça". Nelly comenta, pode ser cervical, a pessoa diz que vai tomar um remédio.

Compartilho, Nelly faz o seu pouquinho para as gerações que virão...  estamos juntos e de certo modo sensibilizamos, chamamos as pessoas para refletir, fazer novas escolhas e ver outras possibilidades.